Bienvenido(a), Visitante. Por favor, ingresa o regístrate.

Ingresar con nombre de usuario, contraseña y duración de la sesión
NotiCentro: Para registrarte escribe a registro@poetastrabajando.com
con nombre de usuario y dirección de e-mail
Páginas: [1] 2 3 ... 10
 1 
 : Hoy a las 01:45:19  
Iniciado por HENRIQUE MENDES - Último mensaje por HENRIQUE MENDES


 
No meu país morre-se com arte.

Uns morrem de raiva e indigestão,
outros de impotência, amarrados
e forçados ao silêncio.
 
E há quem morra desprezado,
silenciado nas suas queixas,
ignorado no que sabe fazer,
pela experiência de uma vida inteira.
 
Morre-se num silêncio de gritos
logo abafados, mudados,
transformados em lamentos.
 
Morre-se em protestos inúteis,
sobrecarregados de impostos,
à míngua de atenção e cuidados.
 
Morre-se moído, mastigado,
cuspido e pisado sem dó
por ideologias e teorias
dos analfabetos da verdade.
 
Morre-se sugado pela máquina
montada para nos sugar, vampira,
inexorável, permanente,
aperfeiçoada a cada segundo.
 
Morre-se em gestos que ninguém vê,
com a conivência dos que não mostram,
sub-servientes e vendidos, frios,
mas pacientes como abutres.
 
Morre-se por tudo isto,
e de mil outras maneiras sutis,
nas espirais de uma História que se repete,
mas para a qual não há defesas
porque dela se abafaram as lições.
 
Morre-se em incêndios gigantes,
repetitivamente, torrando o futuro
e a riqueza escassa, parca, rara,
no combustível dum descaso impune.
 
Mas também há aqueles que brilham,
e brilham mais que as chamas.
Ganham a ribalta com promessas,
fazem voz grossa com o impossível,
acariciam com palavras de duplo sentido,
arvorando em lágrimas de crocodilo
uma dor que nem sabem sentir.
 
Ganham alturas rarefeitas
pela mão dos comparsas, compadres,
mantidos num silêncio avençado
até à abundância da tragédia.
 
Mas a tragédia é chama e exaltação,
é combustível para as carpideiras obedientes
que ficam de plantão remoendo,
remoendo sempre…
Até que por fim, gasta a novidade,
exauridos todos os ângulos até à exaustão, 
fica reposta a modorra, a monotonia do drama,
e morre-se outra vez, em esquecimento.
 
Os mortos do meu país
são heróis mudos, que merecem mais:
-merecem a verdade
sem o disfarce das conveniências...



copirighthenriquemendes2017

 2 
 : Hoy a las 10:00:30  
Iniciado por HENRIQUE MENDES - Último mensaje por Cony Ureña
Querido Poeta, con estos versos das voz a aquellos que por no tener el don de la poesía, permanecemos callados.

 3 
 : Hoy a las 05:10:15  
Iniciado por HENRIQUE MENDES - Último mensaje por HENRIQUE MENDES
Querido y admirado Poeta:  Con este poema me has hecho caminar por la Calle de la Alegría y créeme que con certeza es mejor que la mía Smiley  Gracias por compartir este bello recuerdo de tu poesía.

No creo que sea mejor que la tuya, mi amiga. Pero siempre hay una  calle de la alegria que nos hace mirar el mundo de los otros y otras calles y creerlas mejor que las nuestras. Así son las cosas, y si lo aprovechamos bien, eso nos hace seguir adelande, buscando más y mejor hasta que eso sea crecimiento. Gracias por tus palabras tan cariñosas !

 4 
 : Hoy a las 05:04:25  
Iniciado por DOROTHY CARVALHO - Último mensaje por HENRIQUE MENDES

Gosto das tardes lentas! Da introspecção que permitem, e na qual me envolvo sempre que consigo que fiquem lentas. Creio que seu poema capta bem, e ilustra, esse ritmo que nos permite um outro tipo de sintonia com o mundo interior. Abraço Dorothy

 5 
 : Hoy a las 05:00:53  
Iniciado por HENRIQUE MENDES - Último mensaje por HENRIQUE MENDES
O olhar de um poeta numa noite diáfona!!!!

Obrigado Sérgio André ! Espero que tenha gostado. Um abraço!

 6 
 : Junio 21, 2017, 04:31:49  
Iniciado por Russo Dylan Galeas Maynor - Último mensaje por Zorro del Desierto
Una noche, aun sin compañía, con todo lo que describes tiene la magia para hacerse poesía...un abrazo, maestro.

ZdD

 7 
 : Junio 20, 2017, 03:49:26  
Iniciado por Soraya Souto - Último mensaje por Sérgio Andre
Boa noite Soraya,

Que prazer em ler um poema seu...
Abraço!

 8 
 : Junio 20, 2017, 03:43:54  
Iniciado por Sérgio Andre - Último mensaje por Sérgio Andre


Muito bom ver você por aqui, Sérgio.
Fico contente e satisfeito, pois sei que você, depois da adapatação inicial, vai gostar de estar por cá.
Espero que saiba fazer de nós o seu cantinho, sossegado e acolhedor, para a sua escrita.
Vejo que já começou a publicar e espero que continue a brindar-nos com seus poemas, sempre muito bons.
Um grande abraço, meu caro. Obrigado por ter cedido ao meu pedido e por ter vindo experimentar!


Olá Henrique Mendes, boa noite!
Eu que agradeço o seu convite para estar aqui... que as palavras nos inspire e nos una...
Forte abraço!

 9 
 : Junio 20, 2017, 03:40:28  
Iniciado por Zorro del Desierto - Último mensaje por Zorro del Desierto
Triste pero cierto, querida Bilp, no se si el destino o que simplemente no todos los sueños se hacen realidad...un abrazo desde Perú


 10 
 : Junio 20, 2017, 09:00:57  
Iniciado por Sérgio Andre - Último mensaje por HENRIQUE MENDES


Muito bom ver você por aqui, Sérgio.
Fico contente e satisfeito, pois sei que você, depois da adapatação inicial, vai gostar de estar por cá.
Espero que saiba fazer de nós o seu cantinho, sossegado e acolhedor, para a sua escrita.
Vejo que já começou a publicar e espero que continue a brindar-nos com seus poemas, sempre muito bons.
Um grande abraço, meu caro. Obrigado por ter cedido ao meu pedido e por ter vindo experimentar!


Páginas: [1] 2 3 ... 10
Impulsado por MySQL Impulsado por PHP Powered by SMF 1.1.15 | SMF © 2006-2009, Simple Machines
Red Mist Theme By Wdm2005 © 2008
XHTML 1.0 válido! CSS válido!